Especial Adolph Tanquerey para sacerdotes – Parte I

1.1. Da obrigação que têem os sacerdotes de tender à perfeição
 
Extraído do Livro “Compêndio de Teologia Ascética e Mística” de Ad. Tanquerey 1925.
 
PRIMEIRA PARTE: Os Princípios
 
Cap. IV. Da obrigação de tender à perfeição
 
Art. III. PARA OS SACERDOTES
 
ART. III. Da obrigação que têem os sacerdotes de tender à perfeição [1].


377. Os sacerdotes, em virtude das suas funções e da missão que lhes incumbe de santificar as almas, são obrigados a uma santidade interior mais perfeita que os simples religiosos, que não foram elevados ao sacerdócio. É esta a doutrina expressa de Santo Tomás, confirmada pelos documentos eclesiásticos mais autênticos: “quia per sacrum ordinem aliquis deputatur ad dignissima ministaria, quibus ipsis Christo servitur in sacramento altaris; ad quod requiritur major sanctitas interior, quam requeritat etiam religionis status” [2]. Os Concílios, em particular o de Trento [3], os SS. Pontífices,especialmente Leão XIII [4] e Pio X [5], insistem de tal modo sobre a necessidade da santidade para o sacerdote que negara nossa tese é pôr-se em contradição flagrante com estas autoridades irrefragáveis. Baste-nos relembrar que Pio X, por ocasião do qüinquagésimo aniversário do seu sacerdócio, publicou uma Carta dirigida ao clero católico, em que demonstra a necessidade da santidade para o sacerdote, e indica com precisão os meios necessários para alcançar, meios que, para o dizer de passagem, são precisamente os que inculcamos nos nossos Seminários. Depois de haver descrito a santidade interior (vitae morumque sanctimonia), declara que só esta santidade nos torna tais quais o exige a nossa vocação divina: homens crucificados ao mundo, revestidos do homem novo, que não aspiram senão aos bens celestes e se esforçam por todos os meios possíveis, por inculcar aos outros os mesmos princípios: “ Sanctitas uma nos efficitquales vocatio divina exposcit: homines videlicet mundo crucifixos… homines in novitate vitae ambulantes… qui unice in caelestia tendant et alios eodem adducere omni ope contendant”.
[1] – Além dos autores citados, cf. ARVISENET, Memoriale vitae sacerdotalis; MOLINA LE CHARTREUX, L’ Instruction des prêtres, 2º Traité; J.J OLIER, Traité des SS. Ordres; TRANSON, Exam. Particuliers; DUBOIS, Le saint Prête; CAUSSETTE, Manrèse du Prêtre; GIBBONS, L’ambassadeur du Christ; GIRAUD, Préte et Hostie; MANNING, Le Sacerdoce éternel; MGR. LELONG, Le Prêtre; CARD. MERCIER, La Vie intérieure, 1919, p. 149 – 226. [2] – Sum. Theol., 2. 2. q. 184, a. 8 . [3] – Sess. XXII, de Reform. c. 1. [4] – Enc. Quod muntum, 22 de agost. de 1886; Lettre encycl. Depuis le jour, 8 Sept. 1889. [5] – Exhortatio ad clerum catholicum, 4 de Agosto de 1908. Deve-se ler toda esta Exortação.
Advertisements

2 thoughts on “Especial Adolph Tanquerey para sacerdotes – Parte I

  1. DOMINUS VOBISCUM. QUE DEUS ILUMINE A CADA SACERDOTE DA TERRA PRA QUE ANUNCIEM A VERDADE DE CRISTO COM TODA SANTIDADE DE SUA ALMA,NA PESSOA DE CRISTO,COMO DEVE SER QUE DEUS ILUMINE A VIDA DE CAD PADRE DA NOSSA SANTA MADRE IGREJA.

    Like

  2. Olá irmão, seu blog está muito rico!Continue mostrando a necessidade da santidade na vida sacerdotal!Tão sublime vocação hoje em dia não é respondido como deveria ser!Sejamos sinais de contradição vivendo o que a Igreja prega e ensina!Louvo a Deus por ter te conhecido!Deus nos abençoe.

    Like

Deixe seu comentário aqui

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s