As 12 virtudes do bom professor: 1- A gravidade

NOTA DO BLOG: Texto de livre cópia e publicação, desde que mencionado o autor da tradução.

As doze virtudes do bom professor

segundo São João Batista De La Salle

 Explicação do Irmão Agaton, Superior General, F.S.C.

1785

***

Traduzido de exemplares em Inglês e Espanhol por

Allan Lopes Dos Santos

***

1- A Gravidade [Seriedade]

 “…torna-te modelo para os fiéis, no modo de falar e de viver, na caridade, na fé, na castidade…” (I Timóteo 4,12).

 A gravidade é uma virtude que ordena todo o porte exterior do mestre, em conformidade com a modéstia, o decoro e a boa ordem.

O mestre que possui esta virtude, mantém o corpo em atitude natural, sem afetação nem falsidade; não move a cabeça nem a volta ligeiramente a um e outro lado a cada palavra que diz; seu olhar é sereno, sem artifícios nem severidade; não fala com gargalhadas, nem faz contorções impróprias; é afável, fala pouco e em tom moderado; evita em sua linguagem a aspereza, a acidez e a altivez; com ninguém é rude, agressivo ou descortês.

Persuadido de que a Gravidade [Seriedade], modéstia e reserva não estão em oposição à bondade nem ao carinho, trata de atrair o afeto dos estudantes com amáveis tesouros, porque sabem, então , que poderão assistir com maior empenho às suas lições; serão mais dóceis em recebe-las e mais fieis em praticá-las. Contudo, para isso não precisa se mostrar demasiado expansivo com eles, nem mantém intimidades e familiaridades com nenhum favorito, ou mesmo nenhum deles.

Longe de procurar inspirar-lhes o temor como único fim, sua principal intenção será de atraí-los à sua confiança para não coibir a espontaneidade e, graças a ela, observa as sementes de virtude que há nas crianças para poder cultivá-los e aperfeiçoá-los; assim como os de seus vícios e faltas para corrigi-los, tanto quanto possível. Com este fim, aparta cuidadosamente de seu proceder todo tipo de dureza, altivez, arrogância, e, enfim, tudo o que os fizessem vê-lo como austero, mal-humorado, indiferente ou infeliz. Evita, com igual cuidado, o tom ameaçador e rigoroso, que dificulta os estudantes a manifestar-se como são, levando-os a evitar o olhar do professor, evitando, assim, de conhecer o mal que ele poderia evitar se o conhecesse, e a impedir que se manifestassem exteriormente as sementes de virtude que lhes brotam.

Entretanto, o mestre [professor] deve aspirar também ao apreço e respeito de seus discípulos, pois mal escutam estes os que lhes ensinam àquele a quem não estimam. Assim, [o professor] nunca esquecerá a obrigação de ser sempre para eles um modelo de virtude. Manifestará em seu porte, modéstia e decoro, que é  fruto de seu espírito maduro, de sua piedade e discrição; mas, sobretudo, terá o cuidado de conservar a tranquilidade, mediante a igualdade de ânimo e de humor. Não permite jamais posturas descuidadas e inconvenientes, excessiva jovialidade, ligeirezas ou brincadeiras de mau-gosto, sequer denotará frivolidade.

Apesar do que já dito, como a Gravidade [ou Seriedade] extremada o tornaria ridículo e insuportável, há de saber mantê-la dentro dos limites convenientes. Deste modo, a Gravidade [Seriedade] bem entendida estabelece a ordem nas cosas, dá ao mestre [professor] a verdadeira elevação de sentimentos, contém os alunos nos limites do dever, os inspira amor, confiança, estima e respeito ao seu mestre, e preservando-lhe de  faltar às suas obrigações nas suas relações com eles.

Além dos defeitos contrários à Gravidade [Seriedade] de que falamos acima, existem outros defeitos que o mestre [professor] deve evitar cuidadosamente, tais são: a impetuosidade, a violência, o olhar arrogante e ameaçador, a impaciência, a grosseria, a infantilidade, o tom imperioso, as palavras injuriosas ou dirigidas por falsa e irônica doçura.

De nada adiantará preservar-se dos defeitos mencionados se não evitar também as gesticulações descompostas, as tolices, os chistes e os castigos que perturbam a ordem, provocando risadas, ofendendo o decoro ou que podem ocasionar desagradáveis consequências; modos pejorativos, o rosto sombrio e carrancudo, afetações ridículas e vozes envaidecidas, altivez, dando ares de mestre, sendo imperioso, estirado, presumido, nojoso; movimentos excessivamente precipitados, encolhimento dos ombros, gestos estranhos, tapas sobre a ou no quadro-negro para assustar e infundir medo nos alunos.

Advertisements

Deixe seu comentário aqui

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s