A enfermidade “psíquica” (aegritudo animalis) segundo Santo Tomás


Por Dr. Martín Federico Echavarría 

Universidade de Abat Oliba – CEU, Barcelona (Espanha)

ABSTRACT: In this paper we propose the Thomistic interpretation of psychic disease. Commenting book VII of Aristotle’s Nicomaquean Ethics, Aquinas studies the case of those who feel contranatural pleasures. The causes may be corporal (a bad constitution, a disease) or behavioural. These are called by St. Thomas, animal or psychic diseases, which are disorders of the sensitive part of the human being opposed not only to recta ratio, such as human vices, but also to the natural tendencies of the animal appetite; for this reason they are called beastly or pathological vices. Under this category, Aquinas mentions, for instance, sexual perversions, sadism, some upheavals of the nourishing behaviour and phobias. These trends can be re-educated, and thus it is spoken about them, in an analogical way, of continence and incontinence.

echavarria

Martín F. Echavarría

Não é comum encontrar estudos dedicados à relação entre Santo Tomás e a psicologia contemporânea. Os que existem se referem geralmente à “psicologia experimental”[1] e não à “psicologia clínica” ou à “psicoterapia”[2]. Nossa intenção neste presente trabalho é fazer um primeiro contato sobre a enfermidade psíquica nos textos do Doutor Angélico.

Aqui não trataremos do tema da “enfermidade mental”, que inclui transtornos que são na realidade enfermidades corporais e que, como tais, afetam a alma per accidens[3].

A alma unida ao corpo padece de duas maneiras: de um modo, com paixão[4] corporal; de outro, com paixão psíquica [animal]. Se sofre uma paixão corporal por uma lesão do corpo. Pois, como a alma é forma do corpo, entretanto, é um o ser da alma e do corpo. Por isso, perturbado o corpo por alguma paixão corpórea, é necessário que a alma se veja perturbada per accidens, isto é, enquanto ao ser que possui no corpo[5]. Continue reading